facisc

Logo Acibr

icon_fone  47 3351-1588

icon_f  fb.com/acibr

Agenda

26
segunda
Reunião
Reunião Núcleo Gastronomia
09:00
26 de Junho
27
terça
Reunião
Reunião Núcleo Comércio Exterior
08:00
27 de Junho
27
terça
Reunião
Reunião Núcleo Academias
14:00
de 27/06 a 19/12
28
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Panificadores
09:00
28 de Junho
28
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Mulheres Empresárias
18:30
28 de Junho
29
quinta
Reunião
Reunião Núcleo Contábeis - Setor Fiscal
08:00
29 de Junho
29
quinta
Reunião
Reunião Núcleo Gestão Ambiental
16:00
29 de Junho
29
quinta
Reunião
Reunião Núcleo Moveleiros
19:00
29 de Junho
03
segunda
Reunião
Reunião Núcleo Imobiliárias
08:15
03 de Julho
03
segunda
Evento
Sessão de Negócios ACIBr/SEBRAE
18:30
03 de Julho
04
terça
Reunião
Reunião Núcleo Corretores de Seguros
17:00
04 de Julho
04
terça
Reunião
Reunião Núcleo Jovem
18:00
04 de Julho
04
terça
Reunião
Reunião Núcleo Fabricantes de Toalhas
19:30
de 04/07 a 19/12
05
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Turismo
14:00
05 de Julho
06
quinta
Reunião
Reunião Núcleo TI
19:00
06 de Julho
10
segunda
Reunião
Reunião Núcleo Gastronomia
09:00
10 de Julho
12
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Laboratórios
14:00
12 de Julho
12
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Empresários de Botuverá
19:00
12 de Julho
18
terça
Reunião
Reunião Núcleo Comércio Exterior
08:00
18 de Julho
18
terça
Reunião
Reunião Núcleo Instituições Educacionais
14:00
18 de Julho
18
terça
Reunião
Reunião Núcleo Jovem
18:00
18 de Julho
19
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Contábeis
08:00
19 de Julho
19
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Mulheres Empresárias
18:30
19 de Julho
19
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Construtoras
19:00
19 de Julho
20
quinta
Reunião
Reunião Núcleo Contábeis - Setor RH
08:00
20 de Julho
20
quinta
Reunião
Reunião Núcleo Empresários de Guabiruba
16:00
20 de Julho
20
quinta
Reunião
Reunião Núcleo TI
19:00
20 de Julho
24
segunda
Reunião
Reunião Núcleo Gastronomia
09:00
24 de Julho
25
terça
Reunião
Reunião Núcleo de Academias
14:00
25 de Julho
26
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Panificadores
09:00
26 de Julho
27
quinta
Reunião
Reunião Núcleo Contábeis - Setor Fiscal
08:00
27 de Julho
27
quinta
Reunião
Reunião Núcleo Gestão Ambiental
16:00
27 de Julho
27
quinta
Reunião
Reunião Núcleo Moveleiros
19:00
27 de Julho
28
sexta
Reunião
Reunião Núcleo Escolas de Idiomas
10:00
28 de Julho
31
segunda
Reunião
Reunião Núcleo Imobiliárias
08:15
31 de Julho
01
terça
Reunião
Reunião Núcleo Corretores de Seguros
17:00
01 de Agosto
01
terça
Reunião
Reunião Núcleo Jovem
18:00
01 de Agosto
01
terça
Reunião
Reunião Núcleo Fabricantes de Toalhas
19:30
01 de Agosto
02
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Turismo
14:00
02 de Agosto
07
segunda
Reunião
Reunião Núcleo Gastronomia
09:00
07 de Agosto
09
quarta
Reunião
Reunião Núcleo de Laboratórios de Análises Clínicas
14:00
09 de Agosto
09
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Mulheres Empresárias
18:30
09 de Agosto
09
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Empresários de Botuverá
19:00
09 de Agosto
10
quinta
Reunião
Reunião Núcleo TI
19:00
10 de Agosto
14
segunda
Reunião
Reunião Núcleo Imobiliárias
08:15
14 de Agosto
15
terça
Reunião
Reunião Núcleo Comércio Exterior
08:00
15 de Agosto
15
terça
Reunião
Reunião Núcleo Jovem
18:00
15 de Agosto
16
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Contábeis
08:00
16 de Agosto
16
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Construtoras
19:00
16 de Agosto
17
quinta
Reunião
Reunião Núcleo Empresários de Guabiruba
16:00
17 de Agosto
18
sexta
Reunião
Reunião Núcleo Contábeis - Setor RH
08:00
18 de Agosto
18
sexta
Reunião
Reunião Núcleo Escolas de Idiomas
10:00
18 de Agosto
21
segunda
Reunião
Reunião Núcleo Gastronomia
09:00
21 de Agosto
22
terça
Reunião
Reunião Núcleo Instituições Educacionais
14:00
22 de Agosto
24
quinta
Reunião
Reunião Núcleo TI
19:00
24 de Agosto
28
segunda
Reunião
Reunião Núcleo Imobiliárias
08:15
28 de Agosto
29
terça
Reunião
Reunião Núcleo Academias
14:00
29 de Agosto
29
terça
Reunião
Reunião Núcleo Jovem
18:00
29 de Agosto
30
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Panificadores
09:00
30 de Agosto
30
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Mulheres Empresárias
18:30
30 de Agosto
31
quinta
Reunião
Reunião Núcleo Contábeis - Setor Fiscal
08:00
31 de Agosto
31
quinta
Reunião
Reunião Núcleo Gestão Ambiental
16:00
31 de Agosto
31
quinta
Reunião
Reunião Núcleo Moveleiros
19:00
31 de Agosto
04
segunda
Reunião
Reunião Núcleo Gastronomia
09:00
04 de Setembro
05
terça
Reunião
Reunião Núcleos Corretores de Seguros
17:00
05 de Setembro
05
terça
Reunião
Reunião Núcleo Fabricantes de Toalhas
19:30
05 de Setembro
06
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Turismo
14:00
06 de Setembro
11
segunda
Reunião
Reunião Núcleo Imobiliárias
08:15
11 de Setembro
12
terça
Reunião
Reunião Núcleo Jovem
18:00
12 de Setembro
13
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Laboratórios
14:00
13 de Setembro
13
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Empresários de Botuverá
19:00
13 de Setembro
15
sexta
Reunião
Reunião Núcleo Escolas de Idiomas
10:00
15 de Setembro
18
segunda
Reunião
Reunião Núcleo Gastronomia
09:00
18 de Setembro
19
terça
Reunião
Reunião Núcleo Comércio Exterior
08:00
19 de Setembro
19
terça
Reunião
Reunião Núcleo Instituições Educacionais
14:00
19 de Setembro
20
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Contábeis
08:00
20 de Setembro
20
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Mulheres Empresárias
18:30
20 de Setembro
20
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Construtoras
19:00
20 de Setembro
21
quinta
Reunião
Reunião Núcleo Contábeis - Setor RH
08:00
21 de Setembro
21
quinta
Reunião
Reunião Núcleo TI
19:00
21 de Setembro
25
segunda
Reunião
Reunião Núcleo Imobiliárias
08:15
25 de Setembro
26
terça
Reunião
Reunião Núcleo de Academias
14:00
26 de Setembro
26
terça
Reunião
Núcleo Jovem
18:00
26 de Setembro
27
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Panificadores
09:00
27 de Setembro
28
quinta
Reunião
Reunião Núcleo Contábeis - Setor Fiscal
08:00
28 de Setembro
28
quinta
Reunião
Reunião Núcleo Gestão Ambiental
16:00
28 de Setembro
28
quinta
Reunião
Reunião Núcleo Moveleiros
19:00
28 de Setembro
02
segunda
Reunião
Reunião Núcleo Gastronomia
09:00
02 de Outubro
03
terça
Reunião
Reunião Núcleo Corretores de Seguros
17:00
03 de Outubro
03
terça
Reunião
Reunião Núcleo Fabricantes de Toalhas
19:30
03 de Outubro
04
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Turismo
14:00
04 de Outubro
05
quinta
Reunião
Reunião Núcleo TI
19:00
05 de Outubro
09
segunda
Reunião
Reunião Núcleo Imobiliárias
08:15
09 de Outubro
10
terça
Reunião
Reunião Núcleo Jovem
18:00
10 de Outubro
11
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Laboratórios
14:00
11 de Outubro
11
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Empresários de Botuverá
19:00
11 de Outubro
16
segunda
Reunião
Reunião Núcleo Gastronomia
09:00
16 de Outubro
16
segunda
Reunião
Reunião Núcleo Empresários de Guabiruba
17:30
16 de Outubro
17
terça
Reunião
Reunião Núcleo Comércio Exterior
08:00
17 de Outubro
18
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Contábeis
08:00
18 de Outubro
18
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Mulheres Empresárias
18:30
18 de Outubro
18
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Construtoras
19:00
18 de Outubro
19
quinta
Reunião
Reunião Núcleo Contábeis - Setor RH
08:00
19 de Outubro
19
quinta
Reunião
Reunião Núcleo TI
19:00
19 de Outubro
20
sexta
Reunião
Reunião Núcleo Escolas de Idiomas
10:00
20 de Outubro
23
segunda
Reunião
Reunião Núcleo Imobiliárias
08:15
23 de Outubro
23
segunda
Reunião
Reunião Diretoria Itinerante de Guabiruba
17:30
23 de Outubro
24
terça
Reunião
Reunião Núcleo Instituições Educacionais
14:00
24 de Outubro
24
terça
Reunião
Reunião Núcleo Jovem
18:00
24 de Outubro
25
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Panificadores
09:00
25 de Outubro
26
quinta
Reunião
Reunião Núcleo Contábeis - Setor Fiscal
08:00
26 de Outubro
26
quinta
Reunião
Reunião Núcleo Gestão Ambiental
16:00
26 de Outubro
26
quinta
Reunião
Reunião Núcleo Moveleiros
19:00
26 de Outubro
30
segunda
Reunião
Reunião Núcleo Gastronomia
09:00
30 de Outubro
31
terça
Reunião
Reunião Núcleo de Academias
14:00
31 de Outubro
01
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Turismo
14:00
01 de Novembro
06
segunda
Reunião
Reunião Núcleo Imobiliárias
08:15
06 de Novembro
07
terça
Reunião
Reunião Núcleo Corretores de Seguros
17:00
07 de Novembro
07
terça
Reunião
Reunião Núcleo Jovem
18:00
07 de Novembro
07
terça
Reunião
Reunião Núcleo Fabricantes de Toalhas
19:30
07 de Novembro
08
quarta
Reunião
Reunião Núcleo de Laboratórios de Análises Clínicas
14:00
08 de Novembro
08
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Mulheres Empresárias
18:30
08 de Novembro
08
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Empresários de Botuverá
19:00
08 de Novembro
09
quinta
Reunião
Reunião Núcleo TI
19:00
09 de Novembro
13
segunda
Reunião
Reunião Núcleo Gastronomia
09:00
13 de Novembro
13
segunda
Reunião
Reunião Diretoria Itinerante de Botuverá
17:30
13 de Novembro
15
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Contábeis
08:00
15 de Novembro
16
quinta
Reunião
Reunião Núcleo Contábeis - Setor RH
08:00
16 de Novembro
17
sexta
Reunião
Reunião Núcleo Escolas de Idiomas
10:00
17 de Novembro
20
segunda
Reunião
Reunião Núcleo Imobiliárias
08:15
20 de Novembro
21
terça
Reunião
Reunião Núcleo Comércio Exterior
08:00
21 de Novembro
21
terça
Reunião
Reunião Núcleo Instituições Educacionais
14:00
21 de Novembro
21
terça
Reunião
Reunião Núcleo Jovem
18:00
21 de Novembro
23
quinta
Reunião
Reunião Núcleo TI
19:00
23 de Novembro
27
segunda
Reunião
Reunião Núcleo Gastronomia
09:00
27 de Novembro
28
terça
Reunião
Reunião Núcleo de Academias
14:00
28 de Novembro
29
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Panificadores
09:00
29 de Novembro
29
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Mulheres Empresárias
18:30
29 de Novembro
30
quinta
Reunião
Reunião Núcleo Contábeis - Setor Fiscal
08:00
30 de Novembro
30
quinta
Reunião
Reunião Núcleo Gestão Ambiental
16:00
30 de Novembro
30
quinta
Reunião
Reunião Núcleo Moveleiros
19:00
30 de Novembro
04
segunda
Reunião
Reunião Núcleo Imobiliárias
08:15
04 de Dezembro
05
terça
Reunião
Reunião Núcleo Corretores de Seguros
17:00
05 de Dezembro
05
terça
Reunião
Reunião Núcleo Jovem
18:00
05 de Dezembro
06
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Contábeis
08:00
06 de Dezembro
06
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Turismo
14:00
06 de Dezembro
06
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Mulheres Empresárias
18:00
06 de Dezembro
07
quinta
Reunião
Reunião Núcleo TI
19:00
07 de Dezembro
11
segunda
Reunião
Reunião Núcleo Gastronomia
09:00
11 de Dezembro
12
terça
Reunião
Reunião Núcleo Comércio Exterior
08:00
12 de Dezembro
13
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Escolas de Idiomas
10:00
13 de Dezembro
13
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Laboratórios
14:00
13 de Dezembro
13
quarta
Reunião
Reunião Núcleo Empresários de Botuverá
19:00
13 de Dezembro
14
quinta
Reunião
Reunião Núcleo Moveleiros
19:00
14 de Dezembro
19
terça
Reunião
Reunião Núcleo Jovem
18:00
19 de Dezembro

Calendário

    Notícias

    Julho
    FACISC entra com mandado de segurança contra aumento de impostos dos combustíveis
    25/07/2017

     

     

    A Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina  impetrou na tarde desta terça-feira, 25/7, Mandado de Segurança em favor de todo o Sistema FACISC, que visa suspender os efeitos do Decreto 9.101/2017 que implementou o aumento da gasolina. O presidente da FACISC, Ernesto Reck, explica que a ação da Federação atende umas das principais bandeiras da entidade que a redução da carga tributária. "Historicamente lutamos contra o aumento de impostos, a favor da redução dos tributos e pela melhor gestão dos gastos públicos. Este aumento vai contra tudo que lutamos desde a nossa fundação há 46 anos".

    O Decreto aumentou os tributos de R$0,3816 para 0,7925, para o litro da gasolina, e de 0,2480 para R$0,4615 para o diesel nas refinarias, sendo que para o Etanol a alíquota passou de 0,12% para 0,1309% para o produtos, e para o distribuidor a alíquota aumentou para R$0,1964.

    Segundo a assessora jurídica da Facisc, a advogada tributarista Márcia Luz, A Federação aguarda decisão liminar que foi requerida na referida ação, que deve beneficiar todas as associações e empresas associadas à FACISC.

    A Facisc emitiu na semana passada uma nota de repúdio ao aumento. No documento a Federação considera inaceitável o aumento dos Para o vice-presidente da Indústria da Facisc, André Gaidzinski, este aumento decepciona a classe empresarial, mas também a sociedade como um todo. "Lamentamos este aumento. Fazia tempo que não tínhamos um aumento direto de imposto. Aumentar e incluir o etanol impacta em todos os consumidores. Foi uma forma encontrada por eles para não ter que passar por aprovação, mas que trará o aumento em cascata e no aumento da inflação", destaca.

     

    Este aumento também acende uma alerta na classe produtiva. "Temos que ficar atentos a outros aumentos de impostos que esta medida poderá trazer. O Governo vai se sentir à vontade para subir outros tributos". Gaidzinski ainda alerta para a questão do retorno dos impostos. "Já pagamos bastante e não temos retorno. Precisamos é cobrar para que isto aconteça e não podemos tolerar mais aumentos".


    Leia +
    ACIBr realiza 17º Almoço de Ideias
    25/07/2017

    Evento será realizado no dia 10 de agosto, a partir das 11h30, na Sociedade Esportiva Bandeirante

     

    “Os rumos da economia e seus impactos em Santa Catarina”. Este será o tema da palestra do 17º Almoço de Ideias, realizado pela Associação Empresarial de Brusque (ACIBr) no dia 10 de agosto, a partir das 11h30, na Sociedade Esportiva Bandeirante. A palestra será ministrada pelo economista da Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina (Facisc), Leonardo Alonso Rodrigues. O evento também contará com a presença do vice-presidente de Indústria da Facisc, Andre Gaidzinski.

    O Almoço de Ideias da ACIBr é reconhecido pelo expressivo número de empresários que reúne e uma boa oportunidade para aumentar o networking. O convite por adesão para sócios custa R$ 50 e, para não sócios, R$ 70. As bebidas não estão inclusas. As presenças deverão ser confirmadas até o dia 8 de agosto, através o telefone (47) 3351-1588 ou acibr@acibr.org.br


    Leia +
    FACISC repudia aumento de impostos sobre os combustíveis
    25/07/2017

     

     

     

    A Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina, Facisc, que tem como uma de suas principais bandeiras a redução dos impostos, considera inaceitável o aumento dos impostos que começou a valer no dia 21/7, sexta-feira. O Governo elevou tributo sobre combustíveis. A alta foi  de R$ 0,41 por litro de gasolina e de R$ 0,21 por litro de diesel começa a valer nesta sexta (21). Medidas vêm após arrecadação abaixo da esperada e visam cumprimento da meta fiscal.

     Para o vice-presidente da Indústria da Facisc, André Gaidzinski, este aumento decepciona a classe empresarial, mas também a sociedade como um todo. “Lamentamos este aumento. Fazia tempo que não tínhamos um aumento direto de imposto. Aumentar e incluir o etanol impacta em todos os consumidores. Foi uma forma encontrada por eles para não ter que passar por aprovação, mas que trará o aumento em cascata e no aumento da inflação”, destaca.

     Este aumento também acende uma alerta na classe produtiva. “Temos que ficar atentos a outros aumentos de impostos que esta medida poderá trazer. O Governo vai se sentir à vontade para subir outros tributos”. Gaidzinski ainda alerta para a questão do retorno dos impostos. “Já pagamos bastante e não temos retorno. Precisamos é cobrar para que isto aconteça e não podemos tolerar mais aumentos”.


    Leia +
    ACIs elencam prioridades do Vale do Itajaí durante plenária da FACISC em Brusque
    20/07/2017

    Encontro teve como sede a Associação Empresarial de Brusque e contou com a presença do presidente da FACISC, Ernesto Reck

     

    A Associação Empresarial de Brusque (ACIBr) foi sede na noite de quarta-feira, 19 de julho, da reunião plenária da Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina – Regional Vale do Itajaí. O encontro foi presidido pela vice-presidente regional, Maria Izabel Pinheiro Sandri e contou com a participação do presidente e vice-presidente da FACISC, Ernesto João Reck e Jonny Zulauf, respectivamente, além de presidentes e diretores das ACIs da região.

    A reunião foi marcada por três momentos importantes: a apresentação da Escola de Negócios, a eleição da vice-presidência regional, e a discussão entre os presentes sobre as prioridades que a região cobrará em encontro com parlamentares no dia 21 de agosto, em Blumenau, através do movimento ‘Voz Única do Vale’, que reúne as 12 ACIs da Regional.

    Entre os pleitos federais estão a necessidade e agilidade da Duplicação da BR 470; o Aeroporto Internacional de Navegantes; a Bacia de Evolução - Porto de Itajaí/Navegantes; o Sistema de Prevenção de Enchentes (monitoramento e barragens, como a de Botuverá); e mudanças no Pacto Federativo. 

    Já em nível estadual os pleitos elencados são a reforma e a revitalização da Rodovia SC-412 (Jorge Lacerda); e o Anel de Contorno Urbano de Gaspar. Na oportunidade, Eduardo Pedrini, diretor da ACI Gaspar, explicou o novo projeto elaborado pela Prefeitura, o qual prevê a implantação do Anel em etapas, sendo elencados quatro trechos prioritários. O projeto, segundo Pedrini, trará melhorias de mobilidade urbana para toda região.

     

    Escola de Negócios

    Durante a reunião plenária, o professor do Centro Universitário de Brusque - Unifebe, George Wilson Aiub, fez a apresentação da Escola de Negócios ACIBr. Lançada em outubro de 2016, a  plataforma é mantida pela entidade em parceria com a Unifebe e disponibiliza cursos de curta duração em diversas áreas. Todos os cursos são oferecidos na modalidade de Ensino à Distância e direcionados exclusivamente às empresas associadas à entidade e seus colaboradores.

    Na oportunidade Aiub demonstrou aos presidentes e diretores das ACIs todas as questões técnicas e práticas que envolvem a plataforma, e ressaltou que todos os cursos disponibilizados surgiram através de demandas das próprias empresas. O programa também utiliza vários tipos de mídia para tornar o processo de aprendizagem mais produtivo. E o objetivo é disponibilizar os cursos às empresas associadas às ACIs de todo estado, através de uma parceria com a FACISC.

    De acordo com o presidente da ACIBr, a Escola de Negócios está disponível às empresas associadas que queiram comprar cursos e disponibilizar aos seus colaboradores, como também ao profissional que tenha interesse em realizar a capacitação para crescimento pessoal, desde que atue em uma empresa associada. “Vemos o quanto a Escola de Negócios poderá auxiliar as empresas e empresários na trilha do conhecimento. Ficamos muito contentes com esse sinal verde da FACISC. A ACIBr criou esse produto, que é a Escola de Negócios junto com a Unifebe e agora conseguiremos, através dessa tríplice aliança, levar esse produto a todas as ACIs do Estado”, enfatizou Habitzreuter.

    O presidente da federação, Ernesto Reck, ressaltou o interesse da entidade na parceria FACISC-ACIBr-Unifebe. Segundo Reck, foi dado o primeiro passo na tarde de ontem, após visita à Unifebe e a partir de agora a FACISC fará todo planejamento para iniciar essa parceria, que deve ser um grande projeto da federação em prol dos empresários e seus colaboradores.

     

    Eleição vice-presidência e despedida

    A pauta da reunião plenária contou ainda com a eleição do vice-presidente da Regional Vale do Itajaí. Por unanimidade a empresária Maria Izabel Pinheiro Sandri, indicada pela ACI Itajaí, foi reeleita vice-presidente, tomando posse na mesma oportunidade.

    Maria Izabel agradeceu a todos os presidentes pela confiança em seu trabalho, e reforçou seu compromisso para com a FACISC e as ACIs da região.

    Em seguida o presidente Ernesto Reck teceu considerações a respeito dos quatro anos em que esteve à frente da FACISC, e que chegam ao fim no mês de agosto, com a eleição da nova diretoria. “Tive o grande privilégio de ter ficado à frente da FACISC por quatro anos. Nossa federação é dividida em 12 regionais e nós conseguimos perceber o quanto cada regional cresceu e entendeu o espírito do associativismo, de que juntos realmente somos mais fortes. Que as ações, independente de cidades, são tomadas em conjunto. Fico feliz de ter participado das diversas plenárias, especialmente hoje, minha despedida. Os temas que aqui foram discutidos são de interesse da região e cada presidente assumiu o compromisso de que unidos construiremos os grandes projetos e ações. Foi um momento extremamente importante e nós, como entidade estadual, sentimos muito orgulho com a Regional Vale do Itajaí, por seu trabalho durante esse período e o quanto ela representa para o associativismo catarinense e em nível empresarial. Muito obrigada à Regional do Vale e a todos os presidentes e suas diretorias. Os empresários cada vez mais têm que assumir a sua função na sociedade. É o empresário unido que vai conseguir fazer a diferença”, ressaltou. 

    Também participaram da reunião o presidente da ACIBALC, Augusto Munchen; o presidente da ACIP, Peter Stephan Volmann; o presidente da ACIL, Alisson Pilar Machado; o presidente da ACIB, Avellino Lombardi; o diretor da ACIB, Rui Hansen; o presidente da ACIG, Nelson Mario Kuster; o diretor da ACIG, Eduardo Pedrini; o executivo da ACIDI, Sidomar Loos; a representante da PRINTE, Ana Bilbao; o presidente da ACI Navegantes, Rinaldo Araújo; a diretora da ACI Itajaí, Marisa da Silva Heiser; o coordenador do Sebrae Foz do Rio Itajaí, Alcides Sgrott; o diretor executivo da ACIBr, Cândido Horácio Godoy; o diretor executivo da FACISC, Gilson Zimmermann; o consultor regional da FACISC, Albert Sabin; e o consultor comercial da FACISC, William Sartor.

     

    ************************

    Visita à Unifebe

    O presidente da FACISC, Ernesto João Reck, acompanhado de demais representantes da Federação também esteve no Centro Universitário de Brusque (Unifebe) na tarde de quarta-feira, 19 de julho. A visita teve como objetivo conhecer a estrutura da universidade e principalmente a Escola de Negócios, criada pela ACIBr em parceria com a Unifebe e que disponibiliza 24 cursos online, de curta duração e direcionados exclusivamente às empresas associadas à entidade e seus colaboradores.

    Ao longo do encontro o grupo conheceu melhor a plataforma da Escola e seu funcionamento, seu conceito, estrutura, funcionalidade bem como os cursos oferecidos e seus conteúdos, todos eles acessíveis com temáticas conectadas com o mercado de trabalho, disponíveis tanto para colaboradores de empresas como para empresários que desejam oferecê-los a seus funcionários. A apresentação da Escola foi realizada pelo professor da Unifebe George Wilson Aiub, que destacou a importância do programa a ser disponibilizado para as ACIs do Estado. “O sistema permite a criação de conteúdos exclusivos, com temáticas direcionadas. Ou seja, a ideia é desenvolvermos conteúdos, de curta duração, para segmentos específicos da nossa economia, e que cada vez mais sejam complementares à formação dos colaboradores”, comentou.

    O presidente da FACISC destacou o projeto inovador e falou da possibilidade de ampliar a Escola de Negócios a rede da Federação. “Sabemos das dificuldades dos nossos empresários e colaboradores quanto à formação, e esta é uma ferramenta fantástica e que pode ser sim compartilhada a nível de Estado. E queremos cada vez mais compartilhar boas práticas, através de um grande projeto para termos resultados a médio e longo prazo, para a economia catarinense. Hoje, demos um passo inicial, de um grande projeto, envolvendo a ACIBr que disponibilizou a possibilidade de a Escola ser ampliada ao Estado, e que traz a inovação e o conhecimento. Parabéns a todos os envolvidos nesse projeto”, destacou o presidente da FACISC. 

    Na oportunidade o grupo também visitou o Centro de Tecnologia e Inovação em Fabricação da universidade, voltado aos cursos de Engenharia Mecânica e Engenharia de Produção, onde conheceu de perto algumas linhas de pesquisa especificamente para a indústria metalmecânica. Participaram da visita à Unifebe o diretor Executivo da ACIBr, Cândido Godoy; o consultor de núcleos Cleiton Grespky; além do primeiro vice-presidente da FACISC, Jonny Zulauf; o diretor Executivo da Federação, Gilson S. Zimmermann; o consultor Regional, Albert Sabin; e o consultor Comercial, William Sartor. O grupo foi recebido pelo vice-reitor e pró-reitor de Administração, Alessandro Fazzino e demais professores da Unifebe.


    Leia +
    Representantes da FACISC conhecem Escola de Negócios
    20/07/2017

    Na oportunidade, representantes da entidade também conheceram estrutura da Unifebe

     

    O presidente da FACISC, Ernesto João Reck, acompanhado de demais representantes da Federação estiveram no Centro Universitário de Brusque (Unifebe) na tarde de quarta-feira, 19 de julho. A visita teve como objetivo conhecer a estrutura da universidade e principalmente a Escola de Negócios, criada pela ACIBr em parceria com a Unifebe e que disponibiliza 24 cursos online, de curta duração e direcionados exclusivamente às empresas associadas à entidade e seus colaboradores.

    A apresentação da Escola foi realizada pelo professor da Unifebe George Wilson Aiub, que destacou a importância do programa a ser disponibilizado para as ACIs do Estado. “O sistema permite a criação de conteúdos exclusivos, com temáticas direcionadas. Ou seja, a ideia é desenvolvermos conteúdos, de curta duração, para segmentos específicos da nossa economia, e que cada vez mais sejam complementares à formação dos colaboradores”, comentou.

    Ao longo do encontro o grupo conheceu melhor a plataforma da Escola e seu funcionamento, seu conceito, estrutura, funcionalidade bem como os cursos oferecidos e seus conteúdos, todos eles acessíveis com temáticas conectadas com o mercado de trabalho, disponíveis tanto para colaboradores de empresas como para empresários que desejam oferecê-los a seus funcionários.

    “Ficamos impressionados com a preocupação da ACIBr e também da Unifebe em formar profissionais. Sabemos das dificuldades dos nossos empresários e colaboradores quanto à formação, e esta é uma ferramenta fantástica e que pode ser sim compartilhada a nível de Estado. E queremos cada vez mais compartilhar isso: boas práticas, através de um grande projeto estadual, para termos resultados a médio e longo prazo, para a economia catarinense.

    Hoje, demos um passo inicial, de um grande projeto, envolvendo a ACIBr que disponibilizou a possibilidade de a Escola ser ampliada ao Estado, e que traz a inovação e o conhecimento. Parabéns a todos os envolvidos nesse projeto”, destacou o presidente da FACISC.  

     

    Novas tecnologias

    Na oportunidade o grupo também visitou o Centro de Tecnologia e Inovação em Fabricação da universidade, voltado aos cursos de Engenharia Mecânica e Engenharia de Produção, onde conheceu de perto algumas linhas de pesquisa voltadas para o arranjo produtivo local, especificamente para a indústria metalmecânica.

    Participaram da visita o diretor Executivo da ACIBr, Cândido Godoy; o consultor de núcleos Cleiton Grespky; além do primeiro vice-presidente da FACISC, Jonny Zulauf; o diretor Executivo da Federação, Gilson S. Zimmermann; o consultor Regional, Albert Sabin; e o consultor Comercial, William Sartor.

    O grupo foi recebido pelo vice-reitor e pró-reitor de Administração, Alessandro Fazzino; pela pró-reitora de Ensino de Graduação, Heloisa Maria Wichern Zunino; pela pró-reitora de Pós-graduação, Pesquisa e Extensão, Edinéia Pereira da Silva Betta; pelo professor doutor Raul Otto Laux; e pelo coordenador dos cursos de Engenharia Mecânica e de Produção, Denis Boing.

     

    A Escola

    Todos os cursos da Escola de Negócios ACIBr são direcionados às empresas associadas à entidade e seus colaboradores, todos com um preço único de R$ 75. Para se inscrever basta acessar o endereço eletrônico www.acibr.org.br  e clicar em “Escola de Negócios”. Lá o processo é simples e consiste em escolher o curso desejado, fazer um rápido cadastro e começar o estudo.

    Totalmente digitais, os cursos são à distância e oferecem ao aluno mais flexibilidade de acesso ao conteúdo, na escolha do melhor dia e horário para receber o conhecimento. A plataforma disponibiliza textos e vídeos, além de leituras complementares e sistema próprio de avaliação.

    Na área de Administração são oferecidos cursos como Qualidade nas Empresas, Administração do Tempo, Atendimento ao Cliente, Curso Básico de Liderança, Desenvolvimento de Líderes, Técnica de Vendas, entre outros. Já na área de Recursos Humanos, Treinamento de Equipes, Gestão de Conflitos Organizacionais, Marketing Pessoal e Rotinas Trabalhistas são algumas opções. Os colaboradores das empresas associadas também podem adquirir os cursos diretamente. Basta entrar em contato com a ACIBr e fazer a inscrição. Na oportunidade será solicitado a comprovação de vínculo com a empresa associada, que pode ser uma declaração da empresa ou cópia da folha de pagamento. Mais informações: (47) 3351-1588.


    Leia +

    Artigos

    Julho
    As duas faces da corrrupção
    03/07/2017

    Por: Evandro Gevaerd

     

    Em tempos de Operação Lava Jato, as pessoas tendem a prestar mais atenção nas práticas de corrupção, com foco no desvio do dinheiro público. Mas é preciso observar que a corrupção possui dois vieses. O primeiro é contra a legalidade, ou seja, quando alguém se aproveita de uma situação para cometer uma prática ilegal para se beneficiar ou beneficiar alguém, como o uso de um bem público.

    E a segunda é a corrupção contra a moralidade quando, por exemplo, funcionários e gestores públicos, abusam das suas prerrogativas, desrespeitando os princípios da administração pública. Um caso típico que acontece em nosso estado é quando um deputado estadual saca diárias nos finais de semana para retornar para sua base eleitoral, onde reside. Pode ser até legal, mas sem dúvida é uma afronta ao povo, que com muito suor sustenta todo o aparato público.

    Da mesma forma, podemos considerar corrupção moral quando um prefeito nomeia pessoas desqualificadas, ou até mesmo familiares e amigos para cargos comissionados (antiético), ou ainda quando se curva às pressões políticas para atender o interesse de vereadores e partidos políticos, que muitas vezes usam cargos como moeda de troca para apoiar ou não o governo.

                    Acredita-se que mais de R$ 200 bilhões são desviados pela corrupção contra a legalidade no Brasil anualmente, porém, se pudéssemos quantificar o dinheiro desviado/desperdiçado pela corrupção moral, certamente essas cifras dobrariam.

    Vale lembrar que para acabar com a corrupção só existe um remédio: o povo brasileiro exercer de fato a sua cidadania, exigindo mudanças e a punição dos criminosos, que direta (corrupção contra a legalidade) ou indiretamente (corrupção contra a moralidade) se beneficiam dos recursos do povo brasileiro, povo sofrido e mal atendido pelo poder público.

     

    Evandro Gevaerd - Diretor Executivo do Observatório Social de Brusque


    Leia +
    Junho
    Luz no fim do Túnel: A atual "crise" política
    26/06/2017

    Por: Claudemir Marcolla

    A atual situação política brasileira está crítica e ninguém pode negar esta afirmação. A população está descrente da classe política e muitas vezes não vê aquela “luz no fim do túnel”. Acompanhando algumas mídias nas redes sociais percebemos certos conflitos ideológicos por parte de uma fatia da sociedade em alguns comentários. É lamentável que a população se pré-julga como “direita” ou “esquerda” e defenda que um dos lados seja a “luz no fim do túnel”.

    Os exemplos atuais em nosso país comprovam que enquanto a população está dividida entre “destros e canhotos”, os políticos de todos os partidos estão envolvidos em um escândalo sem precedentes. Será que essa “guerra ideológica” vale mesmo à pena? Será que uma ideologia política salvaria o país de tanta corrupção? Tenho certeza que não! 

    Não podemos desistir de nosso país! Não podemos deixar de acreditar que há “luz no fim do túnel”. Não podemos deixar de crer que há sim políticos que querem uma “nova política”! Porém, além de direitos, temos deveres! Ou seja, exercer a cidadania é ter consciência de nossas obrigações e lutar para que o que é justo e correto seja colocado em prática. Que tal iniciar uma mudança de baixo para cima?

    • Comece por acompanhar o vereador em quem você votou! Se ele não se elegeu, adote um vereador e acompanhe suas ações;
    • Comece a acompanhar as sessões da Câmara Legislativa. Se não puder ir até ela, assista pelas redes sociais ao vivo ou gravado; (Em Brusque acontecem todas as terças-feiras às 17h);
    • Acompanhe as obras do executivo em seu bairro. Veja os prazos, investimentos, etc.
    • Acesse o Portal da Transparência de seu município e tenha acesso a todos os dados da gestão atual e anterior. Nele você encontrará o quanto é investido em cada setor, o custo da máquina pública, etc.

    A tecnologia está ao nosso lado. Vamos utilizá-la de maneira consciente e produtiva e parar de reclamar do conforto de nossos sofás? Vamos começar esta mudança? A “luz no fim do túnel” está mais próxima do que você imagina e aposto que você encontrará: a luz é você, eu e toda a sociedade.  “Indignar-se é importante, atitude é fundamental”!

    CLAUDEMIR MARCOLLA, Consultor do Observatório Social de Brusque


    Leia +
    Processos de Cobrança: um plano de ação para evitar atrasos e inadimplência
    23/06/2017

    Por: Fabio Jorge Celeguim, CFO Grupo Flytour

     

    Quais os erros, acertos e processos mais comuns para evitar que os clientes atrasem o pagamento?

    Não tem saída. A cobrança é o momento mais desagradável da jornada de relacionamento com o cliente. O seu desafio nessa etapa é ser agradável, gentil e, ao mesmo tempo, garantir que o pagamento seja feito. Até então você ofereceu valor ao cliente e agora é o momento dele retribuir. Por isso, aqui na Flytour, esse processo é separado em estágios. E começa bem antes da fatura vencer.

    Cobrança pré-vencimento

    O mercado costuma chamar esse momento de cobrança preventiva ou consultiva, anterior ao vencimento da fatura. É nessa etapa que você pode questionar o cliente sobre eventuais problemas, antes mesmo de vencer. Em uma ligação, o seu time pode fazer a seguinte abordagem:

    “Olá, você tem a uma fatura que vai vencer daqui a três dias. Você recebeu? Está tudo certo? Precisa de mais informações?”

    O objetivo principal dessa ligação é avisar o cliente de que a fatura vai vencer e descobrir se ele tem a intenção ou não de pagá-la. Nela, você já colhe informações para saber se o valor ainda não foi aprovado internamente, se não chegou à área financeira ou se tem um gargalo no processo que você precisa intervir para que o pagamento aconteça no prazo esperado.

    Na prática, não é possível realizar essa ligação para todo cliente atendido. Nas 12 empresas que atendemos dentro do grupo Flytour, por exemplo, não são todos os 6 mil clientes que recebem uma ligação. Faturas pequenas, de menor valor, não passam por essa etapa. Já faturas mais altas, ou de clientes com histórico de atraso no pagamento, passam obrigatoriamente por esse estágio.

    Ranking de Pagadores: a lista que define suas prioridades

    Para entender quais clientes precisam passar pela etapa de pré-cobrança, é importante separar a carteira fazendo um ranking de pagadores, do cliente que sempre paga no prazo àquele que recorrentemente apresenta problemas de atraso.

    Na prática, não existe uma taxa aceitável de atraso que funcione para todas as empresas. O mais importante é entender o real motivo dos atrasos. Em alguns casos, é problema operacional. Em outros, chegamos à conclusão de que o jeito como faturamos não é o melhor para o cliente e adaptamos o processo.

    Até que ponto posso ser flexível no prazo de pagamento?

    Na Flytour, atuamos como consolidadores. Consolidação é ser um distribuidor de bilhete aéreo. O que fazemos é vender direto do inventário para as agências de viagem. Assim, mesmo que exista inadimplência de nossos clientes, temos que pagar o bilhete para a companhia aérea de qualquer maneira.

    Para você entender o grau de flexibilidade que pode oferecer para os seus clientes pagarem, faça o cálculo do prazo máximo que pode dar sem afetar seu caixa.

    Esse cálculo é feito pela relação entre:

    Disponibilidade de capital vs. Custo do capital

    Pode acontecer de você ter o dinheiro para realizar o pagamento dos seus fornecedores. Se tiver caixa e disponibilidade para fazer esse pagamento, pode dar um prazo a mais para o seu cliente pagar você e cobrar pelo custo deste capital, por meio dos juros.

    Nessa situação, podemos precificar o prazo de pagamento e as condições de pagamento, cobrando pela flexibilidade oferecida.

    Régua de cobrança: e se o pagamento não foi feito?

    Esse processo é fundamental para profissionalizar o processo de cobrança na sua empresa. Se você desenhar o que acontece nos dias seguintes ao vencimento e que medidas está disposto a tomar, se o cliente não realizar o pagamento, esclarece os estágios para o time e não precisa agir pontualmente em cada caso que aparecer.

    A sua régua pode ser desenhada da seguinte forma:

    D = dia do vencimento
    D+1 = ação imediata após o vencimento
    D+2 até D+90 = ações planejadas no período de 2 dias, 7 dias, um mês, dois e três meses após o vencimento.

    Com a régua definida, que pode envolver e-mails, ligações, e até, em último caso, o departamento jurídico, é importante conhecer a estrutura interna do cliente para saber onde você deve fazer a cobrança. Em alguns casos, é o financeiro quem toma a decisão. Em outros, é o time operacional.

    Em que momento envolver o time comercial na cobrança?

    Se você deseja envolver o time de Customer Success ou Comercial para facilitar o pagamento, inclua esse estágio apenas no limite da sua régua de cobrança, porque esse contato pode estressar o relacionamento. Em essência, o time comercial deve ter um relacionamento que constrói valor com o cliente. Por isso, em casos extremos, o representante do time comercial visita o cliente, marca um café ou cria novos assuntos e vai até a empresa dele. Lá, ele apresenta as novidades, uma nova forma de pagamento ou algo interessante que não torne a visita constrangedora. A postura dele sempre é de se colocar ao lado do cliente.

    Em meio à conversa, vem o questionamento:

    “Ah, o pessoal do financeiro comentou que tem um título seu em atraso. O que aconteceu? Fizemos algo de errado? Você precisa que a gente corrija a fatura?”

    Não significa que envolver o comercial é sinal de que tudo funcione. O que funciona de fato é levar a sério cada estágio da sua régua e revisitá-la com frequência para adaptar para o que mais tem funcionado no dia a dia.

    A RELAÇÃO DO COMERCIAL COM O CLIENTE SEMPRE É POSITIVA E CONSTRUTIVA, MESMO NOS CASOS DE COBRANÇA.

    E a inadimplência zero, é possível?

    Na Flytour, temos um índice de inadimplência bem baixo. Isso porque realizamos uma boa análise de crédito antes de vender. Além disso, temos uma preocupação em trabalhar dentro do modelo que o cliente adota, para sempre facilitar o processo para ele, mesmo que dificulte para nós.

    NOSSO PROCESSO DE COBRANÇA COMEÇA NA AVALIAÇÃO DE CRÉDITO

    Por termos um volume de clientes alto, o time de cobrança na Flytour é formado por 18 pessoas, sendo que 10 trabalham na área de crédito e 25 na área de cobrança para atender as 12 empresas do grupo.

    Futuro da cobrança é automatizado

    Hoje, três pessoas do time passam o dia verificando quais são as faturas em aberto dos nossos clientes. Para automatizar esse processo, estamos experimentando usar a Cortana, uma assistente virtual inteligente. Ainda estamos em fase de testes, mas o objetivo é que, quando o cliente ligar para o time financeiro, a Cortana possa responder de forma automatizada qual é o limite de crédito que ele tem disponível, se tem faturas em atraso, qual a data, número e valor.

    Uma outra iniciativa que estamos desenvolvendo é integrar a ferramenta de Business Intelligence com o processo de cobrança. O projeto inclui a criação de um portal para o cliente acessar, e verificar algumas informações:

    • Quantos títulos ele tem em atraso?
    • Qual o número de dias em atraso desses títulos?
    • Em que estágio ele está na régua de cobrança?
    • Quando vamos cortar o crédito desse cliente?

    Quais os erros mais comuns do processo de cobrança que não dá certo?

    1) Tentar fazer o processo de cobrança no tempo livre de alguém

    O principal deslize é deixar o processo de cobrança em um segundo ou terceiro plano dentro das prioridades do time financeiro. Existe uma tendência muito grande de áreas que não têm uma pessoa dedicada ao processo, mas sim alguém que liga para os clientes na hora vaga.

    2) Não ter clareza da régua de cobrança

    Se a sua régua de cobrança não tem começo, meio e fim claros para o cliente, ele não sabe quais são as consequências do atraso da fatura.

    3) Pessoas diferentes fazendo a cobrança para o mesmo cliente

    Em muitos casos, o processo de cobrança cria vínculo e relacionamento. Se a mesma pessoa tiver em contato por e-mail e telefone, por exemplo, tem mais domínio da situação do cliente e sabe qual é a probabilidade de ele pagar ou não.

    Quais são os indicadores de um processo de cobrança bem feito?

    Na Flytour, trabalhamos com uma métrica que relaciona o número de atrasos com os faturamentos gerados no mês. Assim, entendemos qual é o nível de tolerância nos atrasos do pagamento e desdobramos em ações que visam diminuir esse número ao longo do tempo.

    Na prática, o que você pode começar a fazer já?

    - Construir a régua de cobrança do seu negócio e implementar o processo com o time envolvido diretamente;

    - Começar o processo de lembrete da cobrança pré-vencimento para os clientes com histórico de inadimplência;

    - Se possível, dedicar uma pessoa do time financeiro responsável somente pelos processos de cobrança para centralizar as informações, o ponto de contato e a gestão dos indicadores.

    Leia mais em Endeavor @ https://endeavor.org.br/processo-de-cobranca-um-plano-de-acao-para-evitar-atrasos-e-inadimplencias/

     

    Fabio Jorge Celeguim, Atual CFO do Grupo Flytour, Fabio Jorge Celeguim foi eleito em 2006 um dos “CEOs do Futuro” na premiação anual conferida pela Korn Ferry, Você S.A. e FlA. Foi Diretor de Finanças e Planejamento da Subway, Diretor Administrativo e Financeiro do Grupo TOTVS, Diretor de Mercado Internacional da Microsiga, respondendo pela gerência geral das unidades no México e na Argentina e Diretor de Novos Negócios na Microsiga. É Membro do Comitê de Relação Públicas do IBEF (Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças) onde responde pela Editoria de Entrevistas da Revista IBEF News e foi Diretor Administrativo da Fundação Nacional da Qualidade durante a gestão de 2005 a 2007. Graduou-se em Marketing, pós-graduado em Administração de Empresas pela FAAP, MBA em Finanças pelo IBMEC (em desenvolvimento) e cursos de extensão e especialização em Contabilidade e Finanças pela FGV e em Desenvolvimento Gerencial pelo IBMEC.

    FONTE: ACIM


    Leia +
    Quer criar um bom ambiente de trabalho?
    07/06/2017

    Então, comece respeitando as indivualidades.

     

    Por Mario Mello 

    Qualidade de vida no ambiente de trabalho é um conceito em pauta desde os anos 70/80. Mas só muito recentemente é que se chegou a uma conclusão com a qual eu, particularmente, concordo: que o chamado "balance" pertence ao indivíduo. A qualidade de vida é, portanto, algo muito pessoal.

    Afinal, é preciso compreender que existem pessoas que não veem o menor problema em trabalhar mais horas por dia, por exemplo. A qualidade de vida desse profissional não tem a ver com a quantidade de tempo que ele dedica à empresa. Não há, portanto, como homogeneizar o conceito de qualidade de vida, porque ela depende do histórico de cada um, do momento de vida profissional e pessoal. E está mais do que provado que forçar as pessoas a aceitarem um "balance" pré-definido pela empresa leva à insatisfação.

    Pessoalmente, prefiro o conceito de "wellness", bem-estar (que, inclusive, implementamos no PayPal). Ou seja, cada colaborador/funcionário é responsável por seu "balance". E os amigos/colegas são responsáveis pelo "balance" coletivo - para que ninguém se sinta intimidado em seu espaço, mas também para que o ambiente não seja afetado por uma individualidade mais exacerbada. O fato de um colaborador precisar sair mais cedo para buscar os filhos no colégio precisa ser visto por seus companheiros como algo natural - pois faz parte do "balance" desse profissional em especial.

    Acredito também no que chamo de postura transversal. Ou seja, esse mesmo profissional que sai mais cedo do escritório para buscar o filho na escola também pode ter uma ideia fantástica para a empresa durante o churrasco do fim de semana, por exemplo. Digo isso porque creio que não há como separar o lado pessoal do lado profissional. Eles estão em constante diálogo, e as empresas que perceberem isso têm muito mais chances de criar um ambiente saudável para todos os seus colaboradores. Porque, muito mais importante do que estabelecer padrões, é entender que as pessoas precisam ser tratadas como adultas, com seus direitos, claro, mas também com suas responsabilidades e seus objetivos.

    Em mais de duas décadas exercitando minha capacidade de gerenciar equipes (e aprendendo a cada ano fiscal), me convenci de que algumas atitudes fazem toda a diferença para alcançar o melhor ambiente de trabalho possível.

    Mantenha-se sempre próximo de seus colaboradores
    A palavra de ordem para um ambiente saudável é ouvir, ouvir e ouvir. Se for possível, abra espaço, semanalmente, para receber seus colaboradores e deixe-os falarem sobre o trabalho, o dia a dia, as necessidades pessoais e da equipe.

    Escritório com muitas facetas
    Além de diminuir as paredes entre seus colaboradores, ofereça serviços que os tirem da frente do computador por alguns minutos - como manicure, massagem relaxante e videogame, por exemplo. E invista em um ambiente agradável também aos olhos, com espaço para conversas na copa, por exemplo.

    Faça com que pensem fora da caixa
    Reforçar o espírito de equipe é sempre uma boa ideia - até para que os profissionais aprendam a respeitar os "balances" uns dos outros. Uma maneira interessante de conseguir isso é criar pequenos eventos sociais, como almoços, happy hours, jantares. Ah, sim: a participação dos gestores é igualmente importante.

    Construa um ambiente confortável e com equipamentos de qualidade
    Nada de bom acontece em um escritório insalubre. Por isso, faz parte das responsabilidades do empregador/chefe/gestor investir em um ambiente funcional e confortável. Aqui estou falando de um sistema de refrigeração/aquecimento bem ajustado, mesas e cadeiras ergonômicas, computadores novos, iluminação de qualidade e limpeza impecável. Ah, e tenha certeza de que cada funcionário possa decorar sua estação de trabalho conforme lhe convier.

    Recompense quem deve ser recompensado
    Ambientes calcados na meritocracia funcionam melhor do que quaisquer outros. Por isso, crie um sistema de recompensas bem definido e 100% conhecido por todos. Estimule uma saudável competitividade, com premiações individuais ou coletivas, sejam elas financeiras ou de "day off", por exemplo. O reconhecimento é muito importante.

    Mario Mello é diretor-geral do PayPal para a América Latina.

    FONTE: www.noticenter.com.br


    Leia +
    Fevereiro
    A era do cliente - 3 coisas que o tornam poderosíssimo
    08/02/2017

    Por Ernesto Berg 

    Estamos na época da teletromática. Teletromática é uma junção de três palavras: telecomunicação, eletrônica e informática. A teletromática agiliza tudo, compartilha tudo, globaliza tudo e informa rapidamente através de infinitos vasos intercomunicantes, em tempo real, numa escala sem precedentes na história da humanidade provocando mudanças e rupturas na ordem existente.Hoje em dia não é a empresa grande que engole a pequena, é a ágil que engole a lerda. Com auxílio da internet e das mídias sociais como Facebook, Twitter, Blogs, as informações e os relacionamentos humanos receberam enorme impulso e não param de crescer. Como se isso não bastasse, tudo - ou quase tudo de que precisamos -, encontramos com alguns cliques no Google, eBay, Mercado Livre, Yahoo e outros mecanismos de busca onde podemos comparar serviços, produtos, preços, condições e decidir pela melhor oferta. É a era do cliente; e ele tem a seu favor 3 coisas que o tornam poderosíssimo, motivo de real preocupação para as empresas que não se amoldam a essa realidade. 1. Foco do cliente.Um dos pontos fundamentais da era do cliente é que, agora, ter foco no cliente não é mais suficiente. Essencial, hoje, é ter foco do cliente. Ter foco no cliente significa que você olha para o cliente imaginando o que seria bom para ele, do que ele gostaria, quais seriam suas preferências e necessidades, seus problemas e interesses. É uma visão de fora pra dentro. Pelo contrário, foco do cliente significa que você colocou os sapatos dele e descobre onde aperta o calo, isto é, você se põe no seu lugar e passa a sentir suas necessidades, interesses e motivações. Você está sintonizado com a realidade dele. Sua visão é de dentro pra fora. É assim que as empresas bem-sucedidas estão conseguindo fidelizar seus clientes e consumidores. 2. Binômio consumidor-mercado.Outra  questão  importante  é o binômio  consumidor-mercado que  adquiriunova fisionomia. Já não é mais o jargão tradicional “O custo faz o preço”. Agora é: “O preço faz o custo”. Na economia tradicional o preço, isto é, a margem de lucro é estabelecida com base no custo do produto ou serviço. Na nova economia, em função da concorrência acirrada, o preço está condicionado ao valor que o mercado consumidor está disposto a pagar pelo seu produto ou serviço. É o que ocorre, por exemplo, com as empresas de telecomunicações, de cartões de crédito ou de informática, que, além de reduzirem constantemente seus preços, ainda oferecem vantagens e brindes para manterem os clientes ou conquistarem novos. A menos que sua empresa tenha um diferencial competitivo extraordinário, se quiser sobreviver, ela terá que adequar e reduzir seus custos ao valor aceito e praticado pelo mercado, caso contrário, é candidata séria a quebrar. 3. Atendimento de qualidade.O terceiro ponto, e também o mais crítico, é o atendimento deficiente praticado pela maioria das empresas. A triste realidade é que, em vez de melhorar, temos a impressão que o atendimento piora a cada dia que passa, não importa a área ou segmento em que a empresa atua. Tratam o cliente como se ele fosse um incômodo ou um mal necessário – apenas tolerando-o -, e parecem ignorar que o cliente é a própria razão da existência da empresa. Esta só existe porque tem clientes. Sem clientes não há lucro, não tem emprego, não tem serviço ou produto, nem empresa.                                                                                                                                                                                    Lembre-se: é o cliente que paga a prestação ou aluguel de sua casa, é ele que paga o alimento que você consome, a roupa que você veste, o colégio de seus filhos, o carro que você dirige, os medicamentos que você compra, os impostos e tributos da organização etc. Não é a empresa que paga você; é o cliente que paga e sustenta a companhia. O que toda empresa faz é simplesmente repassar aos funcionários, aos proprietários, aos acionistas – ou quem mais for -, parte do dinheiro que ela recebeu por comercializar determinados produtos ou serviços. O cliente sempre é, e será, o fator-chave do crescimento ou falência do seu negócio. “Quem garante todos os empregos não são os empresários, os sindicatos ou os governantes. São os consumidores.” John Hicks, prêmio Nobel de Economia, 1992 Texto extraído e condensado do livro “Manual de Atendimento ao Cliente”, de Ernesto Artur Berg. Para adquira o livro acesse o site www.quebrandobarreiras.com.br seção de LIVROS.


    Leia +
    Revista ACIBr
    Balanço Social
    Balanço Social
    Cadastro Empresarial Santa Catarina
    Cadastro Empresarial SC 2017
    Facisc
    Aplicação da Marca FACISC
    BO Online
    Boletim de Ocorrência Online