Saúde mental do professor é tema de Café de Ideias Núcleo de Instituições Educacionais realizou palestra com Julio Luchmann

Saúde mental do professor é tema de Café de Ideias Núcleo de Instituições Educacionais realizou palestra com Julio Luchmann

Saúde mental do professor é tema de Café de Ideias Núcleo de Instituições Educacionais realizou palestra com Julio Luchmann Saúde mental do professor é tema de Café de Ideias Núcleo de Instituições Educacionais realizou palestra com Julio Luchmann

O Núcleo de Instituições Educacionais da Associação Empresarial de Brusque, Guabiruba e Botuverá (ACIBr), promoveu na tarde desta quinta-feira, 15 de setembro, mais uma edição do Café de Ideias, no auditório do Colégio Cônsul. Além dos diretores, coordenadores pedagógicos também participaram do evento, que discutiu a saúde mental no ambiente escolar, através da palestra ministrada por Julio Luchmann, formado em Filosofia, História e Nutrição.
“Nossa gratidão ao Colégio Cônsul por ter acolhido o Café de Ideias e por nos proporcionar uma palestra sobre um tema de relevância, que está acontecendo no âmbito educacional. Na maior parte das formações, nosso foco está no aluno. Como educadores, aprendemos a cuidar do outro e, muitas vezes, esquecemos de nós mesmos”, afirma o coordenador do Núcleo de Instituições Educacionais, padre Silvano João da Costa.
Segundo ele, o palestrante trouxe conhecimento sobre alimentação e planejamentos diários e pessoais, que contribuem para a saúde e qualidade de vida. “Falamos na educação do ser humano integral e, neste pós-pandemia, a dimensão emocional veio à tona. Não há apenas um déficit intelectual, mas uma perda emocional que precisa ser observada. O cuidado começa na sensibilização e na busca pelo conhecimento”, destaca o coordenador.

Fragilidades reveladas
O palestrante, Julio Luchmann, destaca que a pandemia revelou algumas fragilidades do ponto de vista físico, mental e emocional. Por essa razão, há um movimento de busca para restaurar este equilíbrio, seja na escola ou na comunidade.
“Questões relacionadas ao neurodesenvolvimento vamos correr atrás ainda por muito tempo. A boa notícia é que existem ferramentas que nos ajudam, mas dependem de conhecimento. O fato é que este momento exige de nós medidas extraordinárias, sem replicar o que era feito antes da Covid-19”, informa.
Um dos caminhos apontados por Luchmann é o olhar para o ser humano de forma sistêmica, com conceitos mais aprofundados de psicologia e de estrutura mental, além do estímulo ao conhecimento nas áreas de fisiologia, ciência e nutrição.
“O primeiro ponto é a conscientização, que já é um grande movimento que percebo dentro das escolas. O segundo elemento é o conhecimento técnico. Só saber que algo está errado pode gerar frustração. Por fim, se faz necessário um planejamento, capaz de mensurar os resultados. Também não basta só entender, é preciso planejar e executar ações que, ao longo prazo, serão capazes de trazer os benefícios que se buscam”, esclarece.

Sistemas de compensação
O especialista ainda mencionou o crescente número de adolescentes e jovens com quadros depressivos e a onda de automutilação. “São sistemas de compensação que aparecem como um sinal de comunicação. Ou seja, o indivíduo está tentando falar algo para os pais e para a escola. Muitas vezes, as pessoas reagem de forma equivocada, criticando a situação ou já buscando algum tratamento. Antes, porém, é importante compreender o que se está tentando dizer, do ponto de vista emocional”, orienta Luchmann.
De acordo com o palestrante, o desconforto recorrente é um dos primeiros sinais de que algo não está bem com o aluno, o que pode se aprofundar para um nível de dor, quando não se consegue comunicar o que é preciso. “Uma patologia surge deste tipo de situação. Há, ainda, outros transtornos, como a bulimia e alguns tipos de hipertrofia. E a maior parte dos casos se trata do sistema de compensação”, alerta.

  • Compartilhar:

Posts relacionados

O que você procura em nosso site?

Whatsapp